• Postado: 21 September 2020
  • Categoria: Notícias

SINTEP/PB participa de Plenária Nacional do FNPE sobre retorno às aulas e Conape 2022

O SINTEP/PB participou da Plenária Nacional Virtual promovida pelo FNPE (Fórum Nacional Popular de Educação), que aconteceu na última sexta (18). A Secretária de Formação, Lêonia Gomes e a Dirigente Regional de Campina Grande, Socorro Ramalho estiveram presentes para debater sobre o retorno às aulas e Conape ( Conferência Nacional Popular de Educação) 2022.

Leônia Gomes, Secretária de Formação do SINTEP, relata que a exposição do tema “retorno às aulas”, foi mediado pelo Dr. Hermano Castro, especialista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), informou a impossibilidade da volta às aulas presenciais sem que haja total segurança, fundamentando a partir dos mais diversos pressupostos técnicos científicos, inclusive na existência da estreita relação entre saúde e educação. 

“O SINTEP/PB defende essa ideia: sem segurança, sem aulas presenciais durante a pandemia da COVID-19. Durante a plenária, outros assuntos foram debatidos, como a negligência governamental em relação à Educação e o descaso geral do governo Bolsonaro com o desmonte do Estado brasileiro e o negacionismo do caos que se encontra o país com mais de 120 mil vidas perdidas”, comentou Leônia Gomes.

O FNPE emitiu uma nota pública manifestando indignação em relação à exclusão do Governo com os profissionais da educação e à preservação da vida da comunidade estudantil e o imobilismo do MEC que têm deixado as redes de ensino públicas e privadas à deriva em momento de pandemia instável. O FNPE e o SINTEP/PB são contrários ao retorno das aulas presenciais no atual momento, por não haver elementos fundamentais seguros para a atitude.

A Secretária do SINTEP/PB acrescentou que além da ratificação das deliberações da CONAPE 2018, a partir de todas as referências das lutas fundamentais, deu-se início ao processo de construção da CONAPE 2020, reafirmando o compromisso com a educação pública de qualidade, com a democracia e com todas as ações de resistência aos retrocessos representados pelo Governo Bolsonaro.