• Postado: 21 September 2021
  • Categoria: Notícias

Governo da Paraíba quer volta às aulas, mas não dialoga com a comunidade escolar

Para surpresa generalizada, o Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Educação, determinou hoje (21) o retorno das aulas presencias na rede pública do Estado a partir da próxima quinta-feira. Ou seja, com apenas dois dias para que toda a comunidade escolar se organize para isso.

O SINTEP-PB, que representa o conjunto dos trabalhadores da rede, não foi informado da medida e, segundo o apurado pelo sindicato, nem mesmo os diretores das escolas.

O sindicato, inclusive, abriu um formulário para recolher informações e sugestões para um diagnóstico das condições de retorno às atividades presenciais e, das mais de 100 escolas que já colaboraram, em praticamente todas existem reclamações sobre falta de estruturas básicas, como lavabos em quantidade adequada para a nova realidade.

Também a SEECT ainda não efetivou a entrega os notebooks aos docentes que foram selecionados e só hoje foi publicado no Diário Oficial a liberação dos recursos do PDDE (R$ 20 por aluno) para as adequações necessárias em cada unidade de ensino. Como, então, seria possível às direções escolares adquirir os materiais, se este recurso sequer entrou nas contas bancárias das escolas?!

Desta forma, o SINTEP-PB reforça a deliberação tomada pela categoria em sua última assembleia, de que trabalhadores e trabalhadoras em educação só devem proceder ao efetivo retorno às atividades presenciais com o cumprimento dos protocolos de biossegurança. Sem isso, não deve haver expedientes nas unidades.

“Só retornaremos às atividades presenciais com as escolas totalmente recuperadas e com todas as condições adequadas para um bom funcionamento. Orientamos que os profissionais que forem às atividades presenciais façam uma reunião na escola para verificar in loco se as condições estão em conformidade para um retorno seguro, incluindo a cabine para professoras e professores em cada sala de aula. Isso tudo foi acordado na audiência com o governador, na frente do secretário de Educação. Portanto, solicitamos que se cumpra com a palavra”, afirma Antonio Arruda, coordenador geral do SINTEP-PB.