• Postado: 03 August 2021
  • Categoria: Notícias

Encontro de Mulheres Educadoras debate papel da escola no enfrentamento à violência

Foi realizado, no último dia 05 de março, em plataforma virtual, o Encontro Estadual das Mulheres Educadoras, cujo debate central foi “O papel da escola no combate à violência contra as mulheres”. Participaram na sala do encontro cerca de 30 companheiras, de várias regionais de ensino da Paraíba, além de diversas outras pessoas, que assistiram pelo canal da CUT-PB no YouTube.

Ao abrir os trabalhos, Laurecy Penaforte, secretária de Gênero e Etnia do SINTEP-PB, pediu um minuto de silêncio em homenagem ao professor Luiz de Souza Júnior, recentemente falecido por consequências da Covid-19.

Em seguida, Cícera Batista fez uma saudação em nome da CUT-PB, ressaltando a importância das atividades do 8 de Março, mesmo em meio à pandemia e à desumanidade do presidente da República. Leônia Gomes, da Secretaria da Formação do SINTEP-PB, fez uso da palavra e exibiu um vídeo baseado no poema “Ciranda das Loucas”, de autoria de Juçara Dutra, ex-presidente da CNTE, em homenagem a importantes mulheres revolucionárias de diferentes períodos. Para encerrar a mesa de abertura, Antonio Arruda, coordenador geral do sindicato, também fez uma fala para as participantes.

Como expositora do tema central, Junéia Batista, assistente social, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT Nacional, colocou o tema a partir da sua vivência em São Paulo. “Aqui onde eu vivo, o Governo do Estado está colocando a necessidade de abertura das escolas, mesmo no meio da pandemia, mas temos que refletir como a violência contra as mulheres está presente neste discurso, pois as professoras são a imensa maioria dos trabalhadores de educação”.

Glória Rabay, a segunda expositora, é jornalista, professora da UFPB e ativista política e feminista. Lembrou que sempre foi muito próxima ao SINTEP-PB, pois teve sua formação feminista “dentro do Centro da Mulher 8 de Março, que funcionou, durante cerca de dez anos, numa salinha do sindicato. E eu me sentia parte do sindicato, mesmo sem ser legalmente da base”. Para ela, “até o luto recai sobre as mulheres de forma mais pesada”. A professora Glória teve recentemente sua sala de aula virtual invadida por fascistas e recebeu grande solidariedade nas redes sociais.

Em meio ao rico debate por parte das mulheres presentes, a Secretaria de Juventude do SINTEP-PB trouxe para o evento a aluna Rebeca Araújo, que recitou um poema de sua autoria, e os clipes da banda paraibana Gatunas, das músicas “Ode ao Bozo” e “Quebrada”, que falam de feminismo e que fecharam com chave de outro o evento.

O Encontro foi uma iniciativa da Secretaria de Gênero e Etnia e contou com a parceria das Secretarias de Formação, Aposentados, Juventude e Comunicação.